Hoje eu vou comer o que eu quiser: um papo sério sobre alimentação e bem-estar

Bem estar

A conversa de hoje será leve, porém séria. O nosso objetivo é levantar uma bola que está sempre rondando as redes sociais, e tem ganhado cada vez mais espaço. Algo que acreditamos de verdade: a relação entre alimentação saudável, auto aceitação, autoestima e bem-estar.

O que queremos dizer? 

Que muitas pessoas são tomadas por sentimentos de culpa e ansiedade sempre que ganham peso, procrastinam aquela atividade física, ou quando resolvem comer um simples pedaço de bolo. 

E este sentimento de culpa tem muitas raízes, mas normalmente vem de um ímpeto de buscar uma vida perfeita. Tudo isso criando uma bola de neve. 

Então, decidimos escrever este artigo para conversar com você de maneira franca, intimista, e até casual, sobre este assunto tão importante. Nada de culpas. Hoje é dia de você comer o que quiser. 

Vamos lá!

Procrastinação x bem-estar

Vamos começar propondo essa dualidade, a procrastinação versus o bem-estar. Pode parecer até brincadeira, já que muitas pessoas procrastinam fazendo coisas divertidas, que geram prazer imediato. Mas responda honestamente: quando você deixa de fazer uma atividade que sabe ser importante, você se sente bem depois?

A resposta quase sempre é não. Pois a procrastinação troca um esforço por um prazer imediato. 

Por outro lado, o bem-estar está associado ao conjunto de fatores que trazem alegria no longo prazo. Um senso de dever cumprido. Formar-se na faculdade traz bem-estar, conseguir completar uma caminhada dentro do pacing tão desejado traz bem estar, concluir um relatório, entre tantas outras coisas.

E é justamente aí que mora um segredo importante para transformar um ato procrastinador em um ato de bem-estar: a escolha consciente. 

Procrastinação inconsciente: a mais perigosa

Você já ficou olhando para a tela do smartphone por um tempo e então teve um estalo que que estava fazendo isso pelos últimos 40 minutos? Até esqueceu de comer, de correr, de fazer aquela ligação, ou continuar o trabalho?

Este é um sintoma claro da procrastinação perigosa, e é o mais comum. Aquela que vem apenas para entorpecer o nosso dia, oferecendo doses rápidas e agudas de dopamina, em troca de horas e horas de tempo perdido. 

Portanto, o maior esforço que você deve fazer é aplicar a escolha consciente nas suas ações. Respire fundo por um momento, pense no seu dia e perguntar-se: eu quero mesmo fazer essa atividade? Essa decisão precisa ser avaliada com base nas consequências. Se você sentir que as consequências do ato valem a pena, faça sem medo. 

E não há nada de errado em dizer sim. Esse exercício de reflexão serve apenas para garantir que você possa sim, ficar sem treinar, que você coma o que desejar, ou apenas curta bons momentos nas redes sociais.

Desde que seja uma escolha consciente, planejada e bem organizada na sua vida. 

Restrição x Equilíbrio

Acreditamos que uma alimentação saudável não é restritiva, ou repleta de dietas excruciantes. 

Para nós, comer bem é comer com equilíbrio. Ter a inteligência para escolher. 

Olha só para essa palavra: escolha. Pois ela faz toda a diferença no impacto que uma possível alimentação “incorreta” pode trazer para o seu dia.

Por exemplo, se você teve um dia emocionalmente carregado, e está inconscientemente usando um pedaço de bolo para trazer alívio imediato aos problemas gerados por outras áreas da sua vida. Isso pode se tornar um hábito perigoso.

Por outro lado, se a escolha de comer o bolo de chocolate é pensada e considerada com base na sua alimentação diária. Se você sabe que naquele dia pode abusar um pouco mais, pois tem certeza de que os efeitos positivos serão incríveis. Então não há nada de errado.

No fim do dia. Você deve fazer um esforço genuíno para trazer o ato da escolha consciente para os seus hábitos. 

Procure entender o seu momento

Uma boa maneira de fazer isso é compreender o seu momento e procurar entender quais são as causas que estão lhe trazendo um possível estresse ou uma ansiedade – pensando claro na situação em que esses dois elementos estão fazendo você buscar uma alimentação que não buscaria normalmente.

Manter um diário é uma ótima forma de expressar as suas emoções. Nós gostamos muito de criar um pequeno caderno de agradecimentos e reflexões. Dica: repasse o seu dia, observe em quais momentos você sentiu mais vontade de procrastinar ou comer algum alimento com maiores teores de açúcar. Observe-se, conheça-se. Isso será importante.

Sempre reforçando: não existe nada de errado em curtir um delicioso cupcake. O problema surge quando o doce é utilizado para suprir uma necessidade emocional despertada por outros elementos. 

Busque alternativas para lidar com a ansiedade

Bem, e como última dica, bem-estar também é livrar-se da ansiedade. Por este motivo, você pode procurar outras formas de lidar com essa sensação tão intensa. As principais são:

  • Terapias
  • Esportes coletivos
  • Meditação – e a prática do mindfulness
  • Leitura
  • Corrida ou caminhada 
  • Prender-se em atividades comuns do dia a dia: como lavar louça, cuidar das plantas, brincar com os pet’s, entre tantas outras.

Teste uma das atividades da lista acima e veja como essa prática impacta diretamente nos seus hábitos alimentares. Existe uma grande chance de você descobrir que curtir um bom doce, sem a presença da ansiedade, torna a experiência muito mais saborosa.

E por fim: Perdoe-se. Não existe absolutamente nada de errado em acordar um dia e pensar “hoje eu vou comer o que eu quiser!”. Nós também já passamos por isso. E temos certeza de que ainda vai acontecer muitas vezes.

Curtiu a publicação de hoje? Então continue acompanhando o nosso Blog. Temos diversos conteúdos incríveis preparados para postar. 

Gostamos muito da sua companhia. Agradecemos a leitura e até a próxima.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *