Descubra como usar óleos essenciais!

Bem estarSaúde

Será que os óleos essenciais podem ser aplicados diretamente na pele? Há riscos para a saúde? Qual é a melhor forma de usá-los? Se você está descobrindo esse incrível mundo, mas ainda tão tem certeza de como usar óleos essenciais e aproveitar ao máximo seus benefícios, preparamos este artigo para esclarecer todas as suas dúvidas!

Mas, afinal, o que são óleos essenciais? Os óleos essenciais são substâncias extraídas de flores, folhas e outros componentes de plantas que, em geral, possuem deliciosos perfumes e inúmeras propriedades terapêuticas.

Por milhares de anos, os óleos essenciais têm sido usados não apenas para perfumar ambientes, mas, principalmente, para promover a saúde do corpo, da mente e das emoções. Eles vem sendo usados para reforçar o sistema imunológico e estimular o equilíbrio e o bem-estar de forma global. 

E é justamente esta prática terapêutica, natural e milenar, que foi estudada e ampliada pelo químico francês René-Maurice Gattefossé por volta de 1910. Desde então, é conhecida em todo o mundo simplesmente como aromaterapia.

Hoje em dia, no Brasil, a aromaterapia é uma das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS), o que significa que ela já é considerada pela comunidade médica brasileira como um recurso terapêutico eficiente e seguro. Por isso, pode ser aplicada tanto em consultórios e clínicas particulares quanto no Sistema Único de Saúde (SUS). 

Os óleos essenciais podem ser utilizados de diversas maneiras em nosso dia a dia, como em massagens, banhos aromáticos, difusores e, até mesmo, em receitas culinárias. A seguir, vamos falar um pouco sobre as principais delas, levando em conta a sua eficácia e, claro, a segurança. 

Afinal, é preciso ter em mente que, ainda que sejam produtos naturais (e maravilhosos!), os óleos essenciais podem causar reações alérgicas e outros danos à saúde se não forem utilizados da maneira correta. Então, olhos abertos e consciência sempre em primeiro lugar, combinado?

Uso aromático dos óleos essenciais 

difusor a vapor para aromaterapia
Aromatizador de ambiente por difusão

A forma mais clássica e simples de experimentar os benefícios aromáticos dos óleos essenciais é utilizando um difusor de ambientes, também chamado de difusor de aromaterapia ou difusor de óleos essenciais.

Em alguns modelos de difusores elétricos, como os ultrassônicos (que espalham as moléculas dos óleos pelo ar com a ajuda de vapor frio), é preciso diluir o óleo essencial em água antes do uso. Cheque sempre as orientações e medidas de diluição sugeridas pelo fabricante.

Pingar algumas gotas do seu óleo essencial favorito no seu difusor de ambientes pode deixar sua casa mais perfumada, criar uma atmosfera propícia à tranquilidade e ao relaxamento. Isso ainda oferece diversos benefícios ao seu bem-estar físico, mental e emocional, pois as moléculas de óleos essenciais inaladas chegam a diversas partes do cérebro – inclusive ao sistema límbico, que é o responsável pelas nossas emoções! 

Outra maneira de aproveitar os benefícios aromáticos dos óleos essenciais é fazendo seu próprio inalador de aromaterapia com apenas 3 “ingredientes”: uma tigela de água fervente, algumas gotinhas do seu óleo essencial preferido e uma toalha sobre a cabeça, para abafar o vapor. 

Óleos essenciais em massagens

aplicação de óleo essencial na pele
Aplicação de óleo essencial na pele

Outra forma conhecida e eficaz de aproveitar os benefícios dos óleos essenciais é em massagens terapêuticas. Durante a massagem, os óleos essenciais entram em nosso corpo por meio da inalação, através das nossas narinas, e também pela absorção cutânea, ou seja, através da nossa pele.

A pele é o maior órgão do nosso corpo e funciona como uma grande barreira de proteção, por isso, é claro que nem tudo o que é aplicado sobre ela é absorvido até a nossa corrente sanguínea. Para a nossa sorte, no entanto, esse parece ser o caso das moléculas dos óleos essenciais, que tendem a penetrar com facilidade através das camadas da nossa pele.

Desse modo, as moléculas dos óleos essenciais são absorvidas e viajam pelo nosso corpo através da corrente sanguínea, levando as suas propriedades terapêuticas diretamente a diversos órgãos e sistemas. 

Além disso, os óleos essenciais fazem bem para a pele em si, ajudando a resgatar a hidratação natural, conferindo maciez e acelerando processos de cicatrização e regeneração celular.

É preciso diluir

Atenção à regra mais básica do uso tópico dos óleos essenciais: eles nunca devem ser aplicados diretamente sobre a pele, justamente pelo fato de serem muito concentrados, podendo causar irritações e alergias.

Para o uso tópico seguro, os óleos essenciais precisam ser diluídos em uma base carreadora, em geral um creme corporal neutro ou um óleo vegetal. Alguns exemplos de óleos vegetais que podem ser usados como carreadores são o óleo de andiroba, de semente de uva, de jojoba, de abacate, de rosa mosqueta, de coco, de amêndoa doce e até o azeite! 

massagem nas mãos com óleos essenciais
Massagem com óleo essencial nas mãos

Quando o assunto é diluição, há uma regra universal que diz que cada gota de óleo essencial deve ser diluída em pelo menos 10 ml de óleo vegetal. Mas, como em quase toda regra, para esta aqui também há uma série de exceções e saber calcular diluições corretamente e de forma segura nem sempre é uma tarefa fácil! Então, pesquise bastante, consulte tabelas, fale com um aromaterapeuta e, na dúvida, opte sempre por óleos essenciais que já vêm pré-diluídos e podem ser aplicados diretamente na pele sem riscos.

Diluídos corretamente, os óleos essenciais também podem ser utilizados em banhos aromáticos, seja de banheira, de chuveiro ou um belo escalda-pés! Outra forma de aproveitá-los é com aplicações pontuais, voltadas para a promoção de benefícios específicos em alguns momentos do dia a dia. Por exemplo: para ajudar a dormir melhor, a sugestão é pingar duas gotas de óleo essencial na ponta dos dedos e massagear as têmporas com movimentos circulares, 30 minutos antes de se deitar. Simples assim!

Uso interno: os óleos essenciais podem ser ingeridos? 

Quando o assunto é a ingestão de óleos essenciais, chegamos a um território delicado. Alguns óleos essenciais podem, sim, ser ingeridos com segurança e essa é uma prática relativamente comum na medicina alternativa, por proporcionar diversos benefícios à saúde, especialmente os ligados ao sistema digestivo.

No entanto, a segurança do uso interno dos óleos essenciais depende das propriedades de cada óleo, da quantidade certa e de como o organismo de cada pessoa vai reagir. Além disso, alguns óleos essenciais são extremamente tóxicos, e não podem ser ingeridos em hipótese alguma! Então, como regra geral, nunca ingira um óleo essencial sem a recomendação expressa de um profissional de saúde especialista no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *